Páginas


Esta iniciativa consite em ações que possibilitem momentos de reflexão e construção pedagogica, abrangendo ainda propostas significativas para a prática cotidiana do educadores. De acordo com o contexto escolar e vivências as ideias e sugestões podem ser adequadas as necessidades reais nas expectativas de educadores e educandos

16 de jan de 2013

Autores


CASTORINA, Antonio José; FERREIRO, Emilia; LERNER, Delia e OLIVEIRA, Marta Kohl de. Piaget-Vygotsky: novas contribuições para o debate. São Paulo: Ática, 1997.




Novas Contribuições para o Debate

Nesta obra os autores discutem as contribuições de Piaget e Vygotsky na educação, esclarecendo os pontos de conflito entre ambos.

O Debate Piaget - Vygotsky: A busca de um critério para sua avaliação.

Castorina, o autor do presente texto, avalia o debate sob o ponto de vista epistemológico, sugerindo uma mudança de perspectiva objetivando-a a articular os dois modelos teóricos, buscando identificar problemas comuns. Contudo, as diferenças parecem ser mais relevantes entre esees dois autores do que as semelhanças. 

Piaget - A postura de Piaget é construtivista. Portanto, defende a construção cognitiva através de interações com o mundo dos objetos. Para Piaget, os processos de desenvolvimento condicionam a realização de um aprendizado, de maneira que este último não influi no desenvolvimento.

Vygotsky - A teoria deste autor é centrada na internalização de conceitos a partir da interação social mediada pela linguagem. Para Vygotsky ao contrário de Piaget,  aprendizagem e desenvolvimento são processos intimamente ligados. 

a) As relações entre aprendizagem e desenvolvimento 
Para Piaget, os processos de desenvolvimento são independentes da aprendizagem, no sentido de que esta não influi sobre o curso do primeiro. Todavia, para Vygotsky os dois processos estão intimamente ligados. Para ilustrar seu ponto de vista Vygotsky criou a hipótese de zona de desenvolvimento proximal, definindo-a como a distância entre o nível de desenvolvimento real que determina a resolução independentemente de problemas, e o nível potencial, determinado pela resolução de problemas sobre a direção de um adulto, ou em colaboração com um colega mais experiente.

b) As consequências das teorias para a educação 
Para Castorina, a perspectiva vygotskyana não é incompatível com a versão piagetiana, não acreditando haver incompatibilidade entre o construtivismo e a aquisição de conhecimentos na zona de desenvolvimento proximal.

Voltando ao critério de comparação, o autor admite que para ambos os teóricos, tanto as relações interpessoais como as intrapessoais são relevantes.

Pensar a educação
Contribuições de Vygotsky

Aqui Marta Kohl de Oliveira discute as contribuições de Vygotsky para a educação, abordando algumas questões polêmicas.
A preocupação de Vygotsky com o desevolvimento é constante em seu trabalho. Para ele, a aprendizagem está relacionada ao desenvolvimento desde o início da vida humana.
No caso do desenvolvimento escolar, Vygotsky tem excepcional importância quando enfoca a idéia de transformação como essencial ao próprio conceito de educação.
Sua posição é essencialmente genética. 
Sua abordagem genética procura compreender os níveis: 

Filogenético - desenvolvimento da espécie humana
Sóciogenético - história dos grupos sociais
Ontogenético - desenvolvimento do indivíduo
Microgenético - desenvolvimento dos aspectos específicos do repertório psicológico dos sujeitos.

A partir de suas concepções sobre o desenvolvimento e aprendizagem podemos apontar três idéias básicas:
O desenvolvimento psicológico deve ser olhado com referência ao que está por acontecer (conceito de zona de desenvolvimento proximal)
O aprendizado movimenta os processos de desenvolvimento - o desenvolvimento humano se dá de fora para dentro. O aprendizado escolar assume um papel essencial no desenvolvimento humano dos indivíduos que vivem em sociedades letradas.
A medição entre a cultura e o indivíduo, que possibilita a internalização de processos interpsicológicos, depende dos outros membros do grupo social.

Processo de alfabetização

No que diz respeito à alfabetização, numa perspectiva vygotskyana, a intervenção pedagógica é essencial para a imersão da criança em uma sociedade letrada, para que a criança possa aprender o sistema de escrita, sua estrutura, usos e funções. A convivência com leitura e escrita, por sí só, não garante a aprendizagem, tanto que esta não ocorre expontâneamente em nossa sociedade.

O ensino e o aprendizado escolar

Délia Lerner, acredita que é possível assumir a postura de Piaget e a de Vygotsky ao mesmo tempo, ou seja considerar a construção do conhecimento, e ao mesmo tempo, considerar as inter-relações sociais, atribuindo dessa forma ao professor um papel fundamental.

Para a autora, existe uma vinculação entre psicologia e didática. Segundo ela, quando se fala da relação teoria e prática, com frequência está se pensando na "teoria psicológica"  e " prática didática".  Evidentemente, não se pode passar de uma para outra. A teoria psicológica alimenta a prática psicológica e também se alimenta dela. A prática didática só pode sustentar-se devido a teoria didática. 

Não obstante Lerner ter insistido na diferenciação entre psicologia e didática, enfatiza que não devemos esquecer que a didática necessita da psicologia, pois esta lhe oferece conhecimentos fundamentais sobre o sujeito que aprende.  

Sobre a necessária coordenação entre semelhanças e diferenças

Emília Ferreiro em seu artigo intitulado "sobre a necessária coordenação entre semelhanças e diferenças"  volta sua reflexão para o tema de desenvolvimento da escrita da criança, buscando esclarecer semelhanças e diferenças entre seu próprio trabalho e o de Luria com citações de Vygotsky, no qual havia registros de suas descobertas.

Entre as diferenças com seu trabalho Ferreiro destaca: 

1 - Para Luria om ingresso à instituição escolar criaria, por si mesmo, uma ruptura com os conhecimentos prévio, enquanto que para ela, o ingresso às instituições interage com as concepções prévias daas crianças, não determinando automaticamente uma passagem de nível conceitual.

2- Luria fala de duas etapas nas quais existe uma substituição de uma técnica por outra.

Finalmente, conclui-se que Ferreiro é centrada na natureza interna da escrita; Vygotsky e Luria nas funções desse sistema para seus usuários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Faça Seu Comentário sem Medo
- Não Xingar ou Ofender os Usuários
- Faça Perguntas a Vontade